logo

Potes para Água e Comida

São itens essenciais, que já devem estar na sua casa para quando seu peludinho chegar. É importante conhecer suas características, uma vez que podem variar para determinadas raças ou tamanhos de cães.

Tamanho e Altura

Escolher o tamanho certo tem sua importância. Potes muito pequenos para cães grandes podem dificultar sua alimentação, assim como comedouros muito grandes para cachorros muito pequenos podem dar uma sensação de que há pouca comida disponível.

Geralmente compramos potes iguais para a comida e para a água. Leve em conta sempre o porte de seu cão. Determinadas raças costumam crescer mais rapidamente, então tenha em mente isso no momento da compra, já que ele não será “pequenininho” para sempre.

Outro fator muito importante é a altura em que estes recipientes devem ficar, para que não interfira na postura do cão quando estiver se alimentando ou bebendo água.

Na foto abaixo, perceba que o cachorro não irá se curvar muito para comer ou beber. Tratando-se de filhotes, que ainda estão se desenvolvendo fisicamente, ajuda a evitar problemas na coluna. Além disso, em cães que costumam ter refluxo, que engasgam muito ou que vomitam após as refeições, a altura correta pode diminuir ou até mesmo evitar por completo estas situações.

Em alguns casos podemos colocar algum objeto por baixo dos recipientes para ajustar melhor a altura, como alguma caixinha de madeira.

Existem suportes para acomodar os potes na altura ideal, sendo alguns reguláveis, assim como existem modelos de recipientes em que ajustamos a altura à medida que o cão vai crescendo. Falaremos mais sobre eles nos tipos de potes.

Local e Limpeza

Devemos ficar atentos quanto à localização dos potes, por isso separamos algumas dicas:

– Evite posicioná-los direto no chão. Caso ele não fique elevado, no caso de potes para cães de porte pequeno, coloque algo do tipo “jogo americano” por baixo. Existem modelos próprios para este fim. Além de dificultar um pouco a chegada de formigas e outros insetos, mantém os mesmos fora do contato direto com o piso. Fora isso, evita que molhe o chão, evitando possíveis acidentes. Não colocamos nossos pratos de comida ou copo de água no chão, certo?

Existem diversos modelos disponíveis nos mais variados materiais e formatos. Destaquei este da Zee Dog, o Zee.Mat, que é antiderrapante e possui uma barreira onde colocamos água para evitar formigas. Você pode encontrar no link abaixo:

https://www.zeedog.com.br/cachorros/jogo-americano

– Deixe afastado de ralos, justamente para evitar a proliferação de insetos. Mesmo após comer a ração, resquícios do alimento e de saliva podem atrair baratas e formigas;

– Evite colocar os recipientes próximos ao local onde seu cãozinho fará as necessidades. Muitos deles evitam fazer xixi ou cocô perto de onde comem e bebem.

– Selecione um local arejado, com iluminação e espaço suficientes. Locais desconfortáveis podem fazer com que o cão coma ou beba água de maneira muito rápida, podendo ser prejudicial, ou até mesmo evitar comer e beber.

Para a limpeza utilize água corrente, detergente ou sabão neutro, esfregando bem com a esponja por toda a superfície do pote, incluindo a parte de baixo. Seque com uma toalha seca ou papel toalha.

Tipos de Potes

Temos alguns tipos de potes disponíveis no mercado, cada um com seus atributos, que abordaremos abaixo. Como não trocamos este tipo de material com muita freqüência, a escolha certa é uma etapa importante.

Alguns cães podem apresentar alergias a determinados materiais, porém só saberemos quando começarem a utilizar. Fique atento a qualquer sinal diferente na saúde de seu cachorro.

Devemos levar em conta cada característica, já que você não quer errar o tipo de recipiente logo na chegada, certo?

Potes de Alumínio: Material barato e relativamente pesado (dependendo do modelo), além de ser bem resistente. Tem como vantagem ser de difícil mobilidade, fazendo com que não se movimente durante o uso. Temos muitos casos de cães que começam a comer em um lugar e terminam em outro, e este tipo de material evita isso. Como desvantagem, caso não seja de boa qualidade, é o de poder soltar a médio ou longo prazo partículas de alumínio no alimento ou água.

Potes de Plástico: Costumam ser baratos e bem leves. Possuem pouca resistência, sendo necessário trocar com um pouco mais de freqüência. São fáceis de saírem pedaços, seja naturalmente ou caso seu amigo ache que é um brinquedo. Além disso, podem soltar partículas de plástico no alimento ou água.

Potes de Aço Inoxidável: Possuem modelos leves e mais pesados. Possuem alta durabilidade e resistência. Tem um custo maior, porém como duram bastante não tem necessidade de troca tão cedo.

Potes de Cerâmica: Normalmente possuem um custo um pouco mais alto. São fáceis de lavar e comumente são mais pesados, dificultando o deslocamento durante a alimentação. São fáceis de lavar. Entretanto são mais frágeis, podendo quebrar devido a uma queda.

Potes Reguláveis: Existem modelos no mercado que você pode ir ajustando a medida que o filhote vá crescendo, evitando problemas de postura. Tem um custo ligeiramente alto, porém compensa pela praticidade e bem estar do peludo. Deixo link de alguns modelos:

https://www.animalart.com.br/loja/

https://www.zeedog.com.br/comedouro-para-cachorros-zeebowl-patrol-007527/p

Comedouros lentos: Normalmente feitos em plástico, e possuem “labirintos” que dificultam o acesso rápido à ração, fazendo com que os cães tenham que usar mais a habilidade do que a rapidez na hora de comer. Indicados para aqueles cachorros que comem muito rápido, evitando possível refluxo ou engasgo. Por serem de plástico, atente-se às características do material, citadas mais acima.

Funcionais

Funcionais: Estes modelos acima foram projetados para cães que possuem muitos pêlos no focinho, como Yorkshires, Shih Tzus, entre outros. Evitam que a água entre em contato com toda a região do rostinho, evitando que a água acumulada possa atrair fungos e bactérias.

Especiais: São os mais variados modelos, como potes de água que vão à geladeira, e ao retirar e colocar água, mantém a água resfriada por um bom tempo, ideal para períodos de calor.

Outros modelos servem como um “depósito”, mais utilizados por tutores que deixam os cães sozinhos por muito tempo. Tem como desvantagem o risco do cachorro comer em excesso, caso a comida armazenada seja demais.

Existem modelos automáticos, que podem liberar a comida após um tempo fixado no equipamento, ou até mesmo modelos controlados via internet, podendo liberar a comida para o seu cão em casa com o comando de um celular em qualquer lugar do mundo.