logo

Assim como a escovação dos dentes, a higienização dos ouvidos é de extrema importância para a saúde do peludo. Da mesma maneira, dificilmente vemos tutores que realizam a limpeza com a frequência necessária.

Os ouvidos caninos são bem sensíveis, bem como os dos humanos. Dificilmente nós possuímos algum tipo de inflamação, dada a higienização frequente. Por isso a necessidade em dar uma atenção especial a este aspecto, principalmente para evitar uma otite.

O que é Otite?

Trata-se de uma inflamação ou infecção no ouvido, podendo atingir o ouvido interno, externo ou médio. O diagnóstico deve ser realizado apenas por um médico veterinário. Com um exame simples ele avaliará se seu cãozinho possui a doença, prescrevendo qual o melhor tratamento. Não medique seu cão sem a indicação do veterinário!

Pode ter as seguintes origens:

– Alérgica, no caso de cães que possuem dermatite atópica (doença de caráter genético, que desenvolve reações na pele do cão). Tem como característica a vermelhidão, coceira e diminuição do espaço do conduto auditivo, normalmente sem secreção;
– Bacteriana, quando há o acúmulo de bactérias no ouvido, associado à presença de pus amarelado com coceira;
– Fúngica, quando há a aglomeração de fungos, apresentando secreção escura e coceira;
– Ácaros, com coceira intensa e secreção muito escurecida, como se fosse uma borra de café.

Em casos mais avançados, pode haver perda da audição e perda de coordenação motora, quando a otite atinge estruturas internas do ouvido.

Cães que possuem orelhas caídas, que tampam o canal auditivo, têm uma tendência maior a ter otite, justamente pelo acúmulo de umidade, facilitando a proliferação de microrganismos. Já aqueles que possuem as orelhas com o canal auditivo todo exposto, como por exemplo os Buldogues Franceses, tem a mesma tendência.

Determinadas raças possuem uma predisposição genética a doenças de pele, sendo também suscetíveis a problemas auditivos.

Normalmente a otite leva bastante incômodo ao seu cãozinho, e os principais sinais que eles apresentam são quando sacodem muito a cabeça, coçam muito, gemem, ou quando manuseamos a superfície da orelha e eles demonstram desconforto.

Fique atento a estes sinais.

Como realizar a limpeza

Segundo veterinários, o ideal é realizar este processo pelo menos 1 vez por semana. Assim como em outros processos de manuseio de seu cão, realize em um momento que ele esteja calmo e relaxado. Se ele estiver agitado, brincando com algum brinquedo ou correndo pela casa, interromper isto pode soar como algo negativo, gerando uma experiência não agradável.

Começamos o processo de maneira gradual, massageando as orelhas com os dedos, de forma leve e suave. Em seguida, comece a massagear a região externa do ouvido. Com isso você já terá uma resposta de seu cachorro, onde ele pode demonstrar tranquilidade com este manuseio, ou ficar nervoso com tal manipulação. Em caso de desconforto, realize estas etapas em outros períodos do dia, para que se acostume mais rapidamente. Após realizar este treino, você pode recompensar seu cão com a ração, um petisco indicado pelo veterinário ou com carinho, para que exista a sensação positiva do processo.

Com ele já habituado a este manuseio, coloque seu cão em um local confortável, podendo ser no seu colo, e realize a limpeza com algodão ou uma gaze, sem introduzir a fundo no ouvido, o que pode ocasionar alguma lesão.

Caso o veterinário tenha indicado algum produto para a limpeza, posicione o produto de forma que você consiga pingá-lo precisamente no canal auditivo. Em seguida aplique uma leve massagem, para que o líquido penetre mais. Em seguida deixe que ele sacuda a cabeça (acontece na grande maioria das vezes), pois com isso o produto, já tendo agido, fará com que a cera se solte do ouvido, facilitando a limpeza com algodão ou gaze. Jamais utilize hastes de algodão (tipo cotonete), pois podem penetrar no canal e causar sérias lesões.

Finalize a limpeza com uma recompensa, como uma festinha com elogios ou com a brincadeira preferida dele.