logo

Brinquedos

Talvez seja uma das partes mais divertidas na montagem do enxoval, onde a gama de produtos é enorme, o que também pode ser confuso no início.

Como ainda não sabemos o perfil de comportamento do filhote, tal como suas preferências pelos brinquedos, falaremos um pouco sobre o tipo ideal para a sua chegada, e quais outros podem ser comprados à medida que ele vá crescendo.

Muitos modelos são desenvolvidos para os filhotes, com texturas, tamanhos e até aromas especiais, pensando em sua mastigação, como uma forma de não prejudicar os dentes em evolução de crescimento, ou para direcionar suas mordidinhas que podem incomodar a muitos. Alguns ajudam a evitar tártaro, estimulam a inteligência, fortalecem as mandíbulas, entre outros.

Os brinquedos também são uma demonstração de carinho e preocupação. Como eles serão separados da mãe e estarão num ambiente novo, temos que proporcionar tudo o que for possível para que sua chegada seja a mais tranquila possível.

Quando falamos em brinquedos, devemos sempre pensar em enriquecimento ambiental. Mas o que é isso?

Enriquecimento ambiental é tornar o ambiente de seu cachorro mais enriquecido, proporcionando oportunidades para que ele aproveite mais o seu lado natural, melhorando sua qualidade de vida, diminuindo seu stress, gastando sua energia, evitando assim muitos problemas comportamentais, como destruição de objetos, latidos excessivos, ansiedade de separação, entre outros.

Aí entram os brinquedos, podendo ser os comprados em pet shops ou lojas online especializadas, assim como os caseiros, que falaremos mais abaixo.

Antes de tudo, devemos levar em consideração algumas características, e destacamos a principal a ser observada, a segurança.

Brinquedos muito pequenos ou que possam soltar pequenos pedaços e serem ingeridos, podem se tornar perigosos, podendo causar sufocamentos ou problemas gástricos graves. Alguns materiais podem gerar alergias, porém por ser de difícil identificação, em caso de sintomas alérgicos nos cães, devemos também levar em conta algum componente de um brinquedo, devendo informar ao veterinário.

Pode não parecer importante, mas é essencial deixar seu cãozinho com interesse em seus brinquedos. Costumo orientar meus clientes a fazer um “rodízio” entre eles, não os deixando 24 horas por dia em poder dos filhotes. Fazemos isso para manter a relevância, pois é muito comum vê-los perdendo este interesse justamente por estar sempre disponíveis, o que pode fazer com que ele tente achar outras coisas mais interessantes que aquelas que sempre estão por ali. Nisso pode começar a pegar coisas que não deve, ou destruir móveis.

A partir daí, começaremos a perceber como seu filhote se comporta, se ele demonstra interesse, e a partir daí definir uma linha de itens que façam ele se manter entretido, gastando sua energia.

Quando falamos em comportamento natural, a ideia é tentar ir a favor disto, pois ele demonstra aquilo que o faz ficar mais interessado. Um exemplo são filhotes que costumam roer móveis ou itens de madeira, como cadeiras. É muito provável que ele não tenha algum brinquedo que tenha uma consistência firme. Outros acabam roendo o sofá por ter uma consistência mais macia. Brinquedos de pelúcia podem ajudá-lo a manter-se entretidos. Já outros descobrem que roer a parede é interessante, sendo os ossos naturais, devidamente tratados, um belo aliado para inibir este comportamento.

Destruir os brinquedos também faz parte de um comportamento saudável, desde que haja supervisão para que não engulam pedaços ou se machuquem, evitando acidentes.

Voltando ao quesito segurança, filhotes tendem a ser muito curiosos. Por isso, qualquer objeto esquecido ou caído no chão pode virar um “brinquedo”. É de suma importância entender que ao receber um filhote, toda uma rotina deve ser adaptada, justamente para evitar acidentes.

Seja qual for, é de suma importância monitorar as primeiras vezes em que ele interage com um brinquedo. Em caso de dúvidas nas escolhas, uma consulta com seu veterinário também pode lhe ajudar a saber quais os mais indicados.

Inicialmente, é quase que um costume dos tutores montar um kit inicial com bolinha, puxador de corda, bichinho de pelúcia, ossinho de nylon. Vamos falar sobre alguns por aqui.

Bolinhas

Podem vir em tamanhos, materiais e texturas diferentes. Costumam ser baratas e de materiais atóxicos. Aos poucos você vai perceber quais tipos ele mais curte.

Importante avaliar bem o tamanho, pois bolas muito pequenas podem ser ingeridas, podendo ser fatal. Assim que ele estiver com uma, avalie se não tentará destruir, para não engolir os pedaços. Bolas de tênis também podem ser interessantes, porém alguns curtem puxar os fios.

Existem algumas que possuem algum apito ou algo que faça um barulho internamente. São ótimos para estimular seu cão a continuar a brincadeira, porém alguns não sossegam enquanto não tiram aquilo de dentro. Importante monitorar.

Uma boa parte vai curtir quando você joga a bolinha para ele pegar. Trazer de volta e lhe devolver ainda pode levar um tempinho para ele aprender. Uma dica de treino é, ao jogar a bolinha, o estimule a devolver, incentivando com uma festinha, e ao chegar perto de você, ofereça uma recompensa, podendo ser um elogio ou a própria ração, assim que ele soltar próximo. Para que ele se acostume a entregar em sua mão, deixe-a estendida embaixo da boca dele, para que entenda que sempre que devolver em suas mãos, a recompensa acontece. Em pouco tempo o prêmio será a própria continuidade da brincadeira.

Puxadores de corda

São interessantes e podem vir em diferentes tamanhos e formatos. Uma boa parte é de material sintético, porém atóxico. Puxadores muito grandes podem não ser interessantes para cães de porte pequeno, já que teriam dificuldade em levar de um lado pro outro. Procure sempre o tamanho compatível.

São ótimos para brincadeiras com os donos, tanto para jogar para o peludo buscar como brincar de cabo de guerra, aumentando a interação entre vocês. O cabo de guerra é bem polêmico, pois muitos acham que estimulam a agressividade no cachorro. Ela pode ser feita, contanto que se encoraje o cão que solte quando solicitado.

Você pode usar a mesma dica que demos para ensinar o peludinho a brincar de buscar e devolver em suas mãos.

Alguns modelos são de materiais rígidos ou mais molinhos no meio, servindo como mordedor. Algumas possuem uma superfície que auxiliam na prevenção ao tártaro.

Assim como outros brinquedos, partes da cordinha ou do mordedor podem se soltar, sendo perigosos se ingeridos.

Pelúcia

A maioria tem texturas macias, com os mais variados recheios. Costumam ser leves, alguns com apitos e conteúdo interno que fazem algum tipo de barulho, estimulando o cachorro a continuar a brincadeira.

Assim como as bolinhas e puxadores, podem ser utilizados em brincadeiras de jogar e buscar, como cabo de guerra.

Alguns modelos não são tão resistentes, por isso a importância em monitorar caso o filhote esteja buscando destruir o brinquedo. Existem bichos de pelúcia sem preenchimento, mas eles costumam não durar muito, mas garantem muita diversão.

Brinquedos Variados

Existe uma variedade enorme de modelos nos mais diversos materiais, como borracha e nylon. Como dica, aconselho a sempre ter um brinquedinho desses perto de você, pra aquele momento em que o filhote se aproxima e muito provavelmente busque suas mãos ou outra parte do corpo para dar umas mordidinhas.

Ossos de couro

Diferente de outros tipos, costumo advertir bastante meus clientes quanto a este tipo de material. Mesmo em tamanhos maiores, a medida que o cachorro vai roendo, sua saliva vai amolecendo o osso, tornando um material frágil e fácil de se romper e ser ingerido. Já tive casos em atendimento onde tive que retirar um pedaço enorme d garganta de um filhote, com risco sério de sufocamento. Caso utilize este tipo de produto, é de extrema importância monitorar para que não ocorra algo do tipo.

Ossos Naturais e afins

Sinceramente, sou um super fã de itens naturais, como ossos, chifres, cascos, entre outros.

Além de não serem caros, costumam ser bem resistentes. São super indicados para cães que já estão buscando fortalecer a mandíbula e procuram coisas mais duras para roer.

Em alguns atendimentos percebi cães que estão roendo as paredes ou móveis da casa. Como existem ossos com uma textura rígida, conseguimos transferir para eles esta necessidade de algo mais duro que ele pede ao ter este tipo de comportamento.

Ossos defumados costumam enlouquecer os peludos, porém sempre peço ao tutor que converse com o veterinário sobre seu uso ou não, uma vez que há pedaços de carne defumada neles, e a alta ingestão pode não ser adequada à dieta pet. Além disso, este tipo de osso pode ser partir com facilidade, podendo gerar lascas que podem machucar o sistema intestinal.

Chifres e cascos podem ser ótimos aliados. Os chifres são rígidos e costumam manter o cachorro bem entretido. Os cascos também são um material duro, e seu formato permite que seja “recheado”. Caso o veterinário de seu peludo tenha autorizado algum outro tipo de alimento, como uma fruta, uma idéia é amassar uma banana, preencher o casco e levar ao congelador. Quando estiver bem gelado, vira um ótimo sorvete de banana, garantindo bons minutos entretidos, além do próprio geladinho do sorvete gerar uma analgesia, para os casos em que os dentes estejam em fase de crescimento, podendo gerar dor ou desconforto ao filhote.

Brinquedos para enriquecimento ambiental

Algumas empresas têm como carro-chefe brinquedos voltados a estimular os cães a se manterem entretidos e gastaram sua energia.

Os preços não costumam ser tão baratos, porém os produtos costumam ser resistentes e duradouros.

Existem brinquedos de rechear, bolas que vão soltando ração ou petisco à medida que vai rolando, entre muitos outros. Por existir uma grande variedade, vou colocar aqui links para os que costumo recomendar a meus clientes, alguns podendo ter vários fabricantes. Pesquise o que achar de melhor custo-benefício. Abaixo coloco links para brinquedos que considero ótimos para distrair seu cãozinho, de excelente qualidade.

Brinquedos de Papel e Papelão

Não são muito comuns ou são praticamente inexistentes em petshops. Nestes anos trabalhando com cães, percebi que estes tipos de materiais podem ser ótimos aliados para criar novas atividades pro seu peludo.

Costumo utilizar caixas de papelão ou até mesmo aqueles sacos de papel quando recebemos comida via delivery de aplicativos, para que eles destruam e assim gastem energia.

Mas é claro, que somente podemos utilizar este tipo de artifício de houver certeza que seu cachorro não engolirá os pedaços.